Agricultura familiar de forma online resiste em meio à pandemia

Agricultura familiar de forma online resiste em meio à pandemia

FONTE: A TARDE

Começa neste sábado, 5, a 11ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária. Realizada pela primeira vez de forma online por conta da pandemia, o evento, que vai até o próximo dia 13 de dezembro, será gratuito e aberto ao público.

Em entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM (103.9) o secretário de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia, Josias Gomes falou sobre as medidas que garantiram a execução da feira e a resistência da agricultura familiar em meio a um momento tão crítico da economia nacional.

“Antes da pandemia já tínhamos uma loja virtual para vender esses produtos e durante a pandemia intensificamos. Fizemos palestras e seminários para que as cooperativas adentrassem esse caminho virtual e elas seguiram. Nós fizemos uma intensificação das vendas online durante essa pandemia e aproveitamos pra lançar um edital que atendeu a cerca de 10 mil agricultores na produção de hortaliças. Avançamos também com a maioria dos editais que estavam em curso para que não houvesse diminuição na produção de alimentos. Por conta dessas ações, a agricultura familiar sentiu muito menos os impactos da pandemia”, explicou.

Responsável pela maior parte de oferta de alimentos na Bahia, com 77% dos produtos consumidos no estado originários de pequenas propriedades de terra, a agricultura familiar achou no espaço on-line um novo nicho que de acordo com Josias, veio para ficar. Porém, as tradicionais feiras do interior do estado também devem ser preservadas e ações buscaram garantir a segurança sanitária de todos os envolvidos durante esse período.

“Investir em tecnologia no desenvolvimento rural é garantir que o avanço das ações se consolide em um menor espaço de tempo. Em um mercado tão competitivo, sempre procuramos inovar para garantir o protagonismo da Bahia nesse setor essencial para o Estado e milhões de famílias baianas. Fizemos uma série de ações para minimizar os impactos. Distribuímos kits de proteção para os agricultores e feirantes conforme os protocolos de saúde determinados. Fizemos essa nova modelagem e a FAEB deu os cursos para que os feirantes ficassem alerta quanto a essas medidas sanitárias. Não descuidamos um minuto sequer da nossa tarefa de permanecer com o nosso trabalho do desenvolvimento da agricultura familiar no estado”, disse.

admin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *